fbpx

Formatação de franquia

Por onde começar, o que planejar e como viabilizar a operação de uma rede?

Saiba que esse é um grande passo, visto que o mercado de franquias é promissor para a expansão de empresas. Tamanha decisão, entretanto, deve ser tomada com cautela – e ser detalhadamente planejada.

Confira algumas informações importantes sobre como formatar uma rede.

Preencha os campos abaixo e retornaremos seu contato.

Nossos prêmios

Nosso escritório foi premiado diversas vezes, nesse ano recebemos o 2020 International Advisory Experts Award na área de Franchising. Outras principais premiações foram  The Legal 500 – The Clients Guide To The Best Law Firms (Reino Unido) e como Escritório do Ano pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SBC).

Especialista disponível via WhatsApp

Não foi por acaso que empresas que um dia foram pequenas e locais hoje são grandes redes de franquias internacionais. Independentemente do seu segmento de mercado, esses negócios encontraram no franchising uma oportunidade de expansão que talvez não fosse viável por outros meios.

Já está mais do que comprovado, afinal, que franquear funciona. Esse formato de replicação de lojas faturou mais de R$186 bilhões no Brasil apenas em 2019.

O número de unidades pelo país aumentou 4,7%. O crescimento é contínuo (confira mais dados nesta publicação da Associação Brasileira de Franchising).

faturamento franquia

Contudo, por mais sólido que seja esse sistema, franquear não é um plano infalível. Tal sucesso do mercado de franquias é resultado de minucioso preparo e intenso trabalho das redes e seus profissionais.

Todas elas passaram por um rigoroso processo de formatação antes que iniciassem sua operação em múltiplas unidades.

Para formatar uma franquia, é preciso seguir certas obrigatoriedades estruturais e jurídicas. Além disso, é primordial dar importância a detalhes, os quais fazem toda a diferença na logística de funcionamento da rede. Isso será definitivo para a preservação da qualidade da marca em todas as suas unidades – sendo esse um fator decisivo para seu sucesso.

Como dar início a esse processo? Como posso transformar meu negócio em uma franquia sólida e replicável?

Se você têm essas dúvidas, fique atento(a) aos três itens a seguir. São momentos distintos, os quais fazem parte da formatação de qualquer franqueadora e representam demandas indispensáveis. Vamos lá?

1. Avaliação do negócio e revisão de marca e logística

Seria muito simples acordar com o desejo de franquear e fazer isso do dia para a noite. Mas, o ideal é que essa decisão seja resultado de um bom tempo de consideração e mais do que isso, de análise.

Análise de franqueabilidade

A análise põe à prova os potenciais do negócio, conferindo o quão “franqueável” ele é e sinalizando quais as adaptações que devem ser feitas para que ele seja franqueado de uma maneira viável.  

Essa avaliação pode desencadear um processo inevitável de revisão da logística operacional da empresa e em alguns casos, da própria identidade da marca.

O objetivo, afinal, é possibilitar a replicação das operações e apresentar uma marca atraente a investidores e consumidores de novos mercados. Isso só acontece quando protocolos operacionais são fixados e a proposta está bem direcionada.

Portanto, o empreendedor também deve analisar suas pretensões: por que quero expandir meu negócio pelo franchising? Quais públicos pretendo atingir com isso?

É altamente recomendado passar por esse processo contando com o auxílio de profissionais especializados em consultoria de franquias.

Por quê?

Porque o trabalho dos consultores torna a análise de franqueabilidade mais clara, completa e até mesmo mais rápida. Dentre as utilidades de uma boa assessoria, estão:

A recomendação de adaptações importantes e funcionais para a empresa, baseadas em know-how e experiência;

A observação de potencialidades e fraquezas do negócio, os quais talvez estivessem passando despercebidos pelo empreendedor e pelos funcionários;

A aplicação de todo conhecimento jurídico a ser utilizado para a estruturação e formalização da rede.

2. Planejamento da estrutura e formalizações

A formatação propriamente dita de uma rede de franquias deve se basear em um princípio fundamental: a padronização de processos. É a partir disso que a estrutura da franqueadora é planejada, instaurada e multiplicada.

Por estrutura, estamos nos referindo a tudo o que é necessário para a operação simultânea das franquias – e isso envolve desde o projeto arquitetônico das lojas, às ferramentas e sistemas a serem utilizados pelos funcionários, por exemplo. Um instrumento bastante útil para a definição e aplicação dessas variadas demandas são os manuais da franquia.

Uma parte mais delicada e burocrática da formatação envolve as formalizações jurídicas para que a rede possa iniciar suas operações. Essas, têm suma importância para que o vínculo contratual entre franqueador e franqueado seja estabelecido e respeitado.

A lei de franquias exige a criação de um documento principal: a Circular de Oferta de Franquia (COF). Nela, devem constar informações detalhadas sobre a franquia, como custos de investimento e requisitos para a instalação das lojas. A criação da COF é necessária para que franquias da rede possam ser vendidas.

Dentre as formalizações, não podemos esquecer de mencionar o registro da marca no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e a alteração do contrato social da empresa.

3. Venda de franquias e monitoramento da rede

Entender a formatação da rede como um processo contínuo e sempre presente é estar atento a eventuais mudanças para adotar quando necessário. O mercado, afinal, muda a todo instante.

Ter essa consciência é importante tanto para a evolução da oferta da marca, quanto para a venda das franquias a novos franqueados. Elas devem se mostrar opções vantajosas para os investidores, sendo compatíveis com seu perfil financeiro e profissional.

Para isso, o franqueador deve priorizar uma negociação justa e um relacionamento profissional próximo com todo interessado em investir. 

Começando pelo contrato de franquia, o qual além de descrever as taxas e os royalties a serem pagos pelo investidor, também delimita direitos e deveres a serem cumpridos por ambas as partes.

Esses, são pilares da formatação de uma rede de franquias de bem-sucedida. Aí é formalizada a capacitação dos operadores e dos funcionários das lojas e o suporte a ser oferecido pela franqueadora sempre que necessário, entre outras partes fundamentais desse vínculo profissional. 

Boas ferramentas de comunicação e suporte são diferenciais e chamam a atenção de potenciais empreendedores. Saber vender o peixe e saber monitorar as atividades da rede são aspectos essenciais para o seu crescimento e para a manutenção do seu controle de qualidade.

Durante esse conteúdo, ressaltamos a importância de ter cuidado com todos os detalhes que envolvem a formatação e formalização de uma rede de franquias. Algumas partes, como as questões jurídicas, podem ser mais confusas do que outras. Mas, não se preocupe!

Você pode trabalhar com profissionais capacitados que o auxiliarão nesses trâmites. Nosso escritório conta com advogados especializados em Direito de Franquia.

Preencha nosso formulário para solicitar uma assessoria. Teremos o prazer de lhe ajudar nessa nova empreitada.

Nosso escritório pode ajudar você durante o processo de formatação da sua rede!

Vamos conversar

Preencha com seus dados abaixo e envie uma mensagem por WhatsApp. 

1